01. Fudô Myôô

19/03/2010 22:46

Acala Vidyârâja é uma divindade da classe Vidyârâjas (Myôôs) e é uma divindade com muita ira. 

É retratado segurando uma espada na mão direita e uma corda enrolada na mão esquerda.  Com sua espada da sabedoria, Acala corta através de mentes iludidas e ignorantes e com a corda ele retém aqueles que são governados por suas paixões e emoções violentas. Ele os orienta ao correto caminho do auto-controle. Acala também é retratado cercado por chamas, chamas estas que consomem o mal e as impurezas deste mundo. Ele senta-se em uma pedra lisa que simboliza a paz inabalável e a felicidade que ele traz para as mentes e corpos de seus devotos.

Fudô Myô-ô é a Divindade central em todos os grupos Myô-ô e nas pinturas é normalmente posicionado ao centro. É a personificação de Dainichi Nyorai e o mais conhecido dos Myô-ô, venerado especialmente pelo Budismo Esotérico Shingon.

Fudô converte a raiva e a fúria em salvação; tem expressão furiosa e busca orientar as pessoas a aceitarem os ensinamentos de Dainichi Nyorai. Ele segura "kurikara" (ou espada subjugadora de demônios) em sua mão direita (representando a sabedoria vencendo a ignôrancia); leva uma corda em sua mão esquerda (para capturar e amarrar demônios); frequentemente tem um terceiro olho na testa (olho que tudo vê); aparecendo normalmente sentado ou em pé sobre uma rocha (pois Fudô é imóvel em sua fé). 

Ele é também adorado como Divindade que pode trazer fortuna (financeiramente falando). O olho esquerdo de Fudô normalmente aparece fechado e seus dentes mordem o lábio superior; outra alternativa de apresentação é termos Fudô sendo mostrado com duas presas, uma apontando para cima e outra apontando para baixo. A aura de Fudô é tipicamente demonstrada como labaredas de fogo, que de acordo com o estudo Budista representa a purificação da mente pela queima dos desejos materiais. Fudô é uma das 13 Divindades (Jobutsu) e preside os rituais memoriais (aos antepassados) normalmente realizados no 7o dia após o desencarne de alguém.

Myô-ô é o termo em japonês para a palavra sânscrita "Vidyaraja", um grupo de Divindades que se apresentam como guerreiros irados conhecidos como Reis Mantra, os Reis da Sabedoria. As estátuas de Myô-ô parecem ferozes e ameaçadoras, com posturas amedrontadoras e expressões desenhadas para subjugar o mau e defender junto aos não crentes a aceitar o ensinamento Budista. Essas Divindades representam a sabedoria luminescente do Budismo, protetores dos ensinamentos Budistas, removem os obstáculos à Iluminação e forçam o mal a se render.

Foram introduzidos no Japão no século IX. Os Myô-ô eram originariamente Divindades hindus que foram adotados no Budismo Esotérico para vencer os desejos que cegam a humanidade. Eles servem e protegem vários Budas, especialmente Dainichi Nyorai. Na maioria das tradições, são consideradas emanações de Dainichi Nyorai e representam a ira de Dainichi contra o mau e ignorância. No Japão, dentre todas as Divindades deste grupo, Fudô é a mais venerada em geral.

Objetivos e Votos

Acala transmite os ensinamentos e as determinações de Mahavairocana a todos os seres vivos porém, se os seres vivos concordam em aceitar ou rejeitam estas orientações é uma decisão de cada um.

O corpo negro e azul e o rosto feroz simbolizam a força de sua vontade de colocar todos os seres no caminho dos ensinamentos de Buda. No entanto, a natureza de Acala é essencialmente de compaixão e ele tem seus votos de servir a todos os seres pela eternidade.

Acala também representa seu aspecto de servço por ter seu cabelo amarrado no estilo de um serviçal: seu cabelo é amarrado em sete nós e desce pelo lado esquerdo da cabeça. Acala tem dois dentes salientes para fora de sua boca, um dente na arcada superior e outro na inferior. O dente da arcada superior aponta para baixo e representa a sua concessão ilimitada de compaixão para todos aqueles que sofrem no corpo e em espírito. O dente na arcada inferior aponta para cima e representa a força de seu desejo em progredir e prosperar em seu serviço em prol da Verdade. Em sua busca por Bodhi e em sua preocupação para com os seres sofredores, ele representa o começo de uma jornada religiosa, o despertar do Bodhicitta e um começo de sua preocupação compassiva para com o próximo. É por esta razão que a figura de Acala é colocado em primeiro lugar entre as Treze Divindades.

Seu voto é de batalhar contra o mal, com uma mente poderosa de compaixão e trabalhar para a proteção da verdadeira felicidade. 

Rezar para a recuperação de doenças e por segurança em viagens é confiar no seu voto e poder de cura.

Acala é também um guia para os falecidos, ajudando a salvá-los e assistindo-os para que se tornem Budas durante os sete dias após a morte.

Mantra


Nômaku sanmanda bazaradan senda makaroshada sowataya un tarata kanman. (japonês)

Namah samanta-vajrânâm canda mahârosana sphotaya hûm trat hâm mâm
(sânscrito)

Homenagem ao Vajra que penetra a tudo! O Violento de grande ira! Destrua! hûm trat hâm mâm (português)

Voltar

Contato

Budismo Japonês

© 2017 Todos os direitos reservados.